A FORMAÇÃO DOS EDUCADORES

A formação dos professores para o magistério foi iniciada em 1994 pelas organizações não-governamentais Fundação Mata Virgem e Associação Vida e Ambiente (AVA), hoje extintas. O Projeto de Formação de Professores Yryku/Itaenyfuk (Urucum/Pedra Brilhante) foi desenvolvido pelo Instituto Socioambiental de 1996 até 2005, formando professores das 15 etnias da Terra Indígena do Xingu e das Terras Indígenas Panara e da aldeia Cururuzinho, na Terra Indígena Kaiabi, no Pará.

De 2001 a 2006 os três professores Ikpeng que se formaram no Magistério, Korotowi, Maiua e Iokore, cursaram o 3º Grau Indígena na Universidade Estadual de Mato Grosso (UNEMAT). Korotowi e Maiua foram aprovados no concurso público para professores do estado de Mato Grosso e em 2008 ingressaram no programa de Pós-Graduação em Ciências Ambientais da UNEMAT.

O professor Pitoga Ikpeng, depois de formar-se no Magistério e ingressar na UNEMAT, formou-se no 3º Grau Indígena desta Universidade, hoje reconhecido como Programa de Educação Superior Indígena Intercultural – PROESI.

Os seis professores, Nawaki, Matare, Pomekenpo, Yalau Waura, Mate e Kawiago Ikpeng concluíram o Magistério em dezembro de 2010, através do Projeto Hayô, promovido pela Secretaria de Educação do Estado do Mato Grosso. Dois novos professores, Wawana e Payata Ikpeng, concluíram a 8º etapa do Ensino Fundamental na Escola Amure.

Foto: Renata Gauche